Segunda-feira, 16 de Junho de 2018
menu
6 de julho de 2017

Banca exortada às boas práticas

Valter Filipe notou na conferência “Regulação e Supervisão Bancária: Experiências e Desafios”, promovida pelo BNA, que Angola conta com 30 instituições bancárias autorizadas, 29 das quais em actividade. A taxa de bancarização em Dezembro de 2016, prosseguiu, era de 52,92 por cento da população activa ou a 6.719.407 clientes. O governador lembrou as transformações realizadas na banca depois do programa de avaliação do sector Financeiro (FSAP), em 2010, com o que o BNA lançou iniciativas de conformação do quadro legal regulamentar.

Essas transformações, declarou, estão baseadas em políticas contra o branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, adequação de capital, governação corporativa e sistemas de controlo interno, bem como na adopção das normas internacionais de contabilidade e de relato financeiro ( IAS/IFRS) e na defesa do consumidor de produtos e serviços financeiros. Valter Filipe declarou que essa reforma visa adequar o sistema bancário angolano às normas prudenciais e boas práticas internacionais e que, só em 2016, foram aprovados e publicados 48 normativos. O governador destacou um novo pacote e medidas sobre a supervisão comportamental destinado a reforçar a solidez e os mecanismos de protecção dos interesses

dos consumidores de produtos e serviços financeiros, para mitigar o risco de conduta das instituições financeiras, afirmou Valter Filipe. O governador anunciou que, para alcançar estes objectivos, leva a cabo um programa de formação e capacitação contínua das equipas de regulação e supervisão na academia do BNA e outras acções no exterior do país, no âmbito dos acordos de cooperação rubricados com organismos de supervisão congéneres. A conferência, organizada com apoio da empresa internacional de consultoria PwC, Standard Bank e a Associação Angolana de Bancos (ABANC), contou com prelectores sul-africanos, portugueses e um dinamarquês.

Malparado no BDA
O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) lançou ontem, em Luanda, uma campanha designada “diversificar”, para sensibilizar o público a reembolsar os empréstimos e permitir o financiamento de outros projectos.  O administrador do BDA Ângelo Filipe explicou que “a filosofia do programa é fazer com que os cidadãos participem no processo de alimentação e realimentação financeira da economia”.   Ângelo Filipe admitiu que a campanha é desencadeada devido ao alto índice de crédito malparado no BDA.

Notícias

15 de junho de 2018
Angola e Coreia do Sul acordam elevar cooperação parlamentar

As repúblicas de Angola e da Coreia do Sul acordaram elevar as relações bilaterais, na perspectiva de acompanhar a dinâmica da cooperação ao nível dos governos dos dois países do domínio parlamentar.


15 de junho de 2018
Empresas francesas atraídas pelo investimento em Angola

O interesse dos investidores franceses por Angola aumentou com a recente  deslocação do Presidente da República, João Lourenço, àquele país, o  que é traduzido com a presença de cerca de 150 empresas das mais  representativas do sector agrícola e industrial num  encontro organizado  em Paris pelo patronato, no qual se esperavam inicialmente 60  participantes.


15 de junho de 2018
A Língua Portuguesa em Nós” patente ao público em Luanda

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós”, patente ao público desde  quarta-feira, no Centro Cultural Brasil-Angola, na Baixa de Luanda,  inclui actividades paralelas para todas as idades.


5 de junho de 2018
Estrangeiros estão convidados a concorrer nas privatizações

O Executivo está a preparar a privatização total ou parcial de  algumas grandes e médias empresas públicas já seleccionadas, incluindo  do sector petrolífero, das telecomunicações e outros, revelou ontem, em  Bruxelas, o Presidente João Lourenço.


AngolaConsuladoServiçosComunicadosAudiências
Audiências
x
*
*
*
*
*