Quinta-feira, 19 de Junho de 2018
menu
1 de fevereiro de 2017

Inovação na ciência tem forte impacto no crescimento

Ao falar na abertura do I Fórum Futuro sobre Ciência, Tecnologia e Inovação, Manuel da Cruz Neto afirmou que o investimento em inovação e na formação de capital humano concorre para uma maior produtividade. “As universidades devem contribuir decisivamente na formação de recursos humanos altamente qualificados”, advogou, para na mesma linha de pensamento referir que é fundamental estabelecer-se diálogo permanente e construtivo entre os sectores académicos e produtivos, para o progresso social e a diversificação da economia.  

  O ministro e chefe da Casa Civil disse que é importante   reforçar o relacionamento entre o crescimento económico, os avanços científicos e inovação tecnológica para se garantir, no país, a geração de riqueza, emprego, rendimento e oportunidades, uma vez que o desenvolvimento assenta na ciência, tecnologia e inovação. Por esta razão, Manuel da Cruz Neto disse que o Executivo angolano aposta na formação de quadros e inovação como eixo central da estratégia para a diversificação da economia e desenvolvimento. A estratégia, acrescentou, está plasmada nos documentos reitores do governo, constituindo um objectivo fulcral que deve ser implementado para sustentar o desenvolvimento económico e social a longo prazo.

Estabelecimento de parceria   Manuel da Cruz Neto defendeu a parceria com instituições de referência a nível internacional, como empresas líderes em tecnologia e inovação e centros de investigação de renome, para fomentar laços profissionais em ambientes diversificados.  Ao referir que o fórum insere-se na dinâmica de implementação do Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017, Manuel da Cruz Neto destacou programas e políticas concebidas para o sector, que visam implementar a estratégia nacional de ciência, tecnologia e inovação, formar e qualificar o potencial humano, científico e tecnológico nacional, criar infra-estruturas adequadas à produção e difusão e apropriação do conhecimento e da inovação.


O Executivo angolano olha para a inovação tecnológica como a grande ferramenta para o crescimento e para os ganhos de eficiência e competitividade das empresas, disse. Esta visão, frisou Manuel da Cruz Neto, permite a aquisição e transferência de conhecimentos para o aumento da competitividade das empresas e do tecido empresarial, colocando à disposição serviços inovadores para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. Sob o lema “O Impacto da Ciência, Tecnologia e Inovação no crescimento e na Diversificação da Economia”, o fórum é realizado com o objectivo de sensibilizar os decisores políticos e parceiros sociais sobre a inserção da ciência, tecnologia e inovação no desenvolvimento sustentável do país. A ministra da Ciência e Tecnologia, Maria Cândida Teixeira, disse que a política nacional de ciência e tecnologia e inovação realça a necessidade da sua inserção na governação e na sociedade, devido à importância deste instrumento em alavancar a economia.

  Cândida Teixeira disse que a ciência, tecnologia e a inovação são ferramentas importantes que influenciam no crescimento económico e social, particularmente “quando se refere ao desenvolvimento sustentado assente na sustentabilidade de processos de edificação de uma sociedade de conhecimento”. “Estamos convictos de que estamos a dar passos significativos para uma forte aposta no estreitamento de relações entre instituições geradoras do conhecimento, tecnologias e inovação e o empresariado nacional”, declarou Cândida Teixeira, para de seguida concluir  ser um pressuposto relevante para o início e aceleração de empresas e negócios. O fórum termina hoje e conta com prelectores   de Angola,  Portugal, Moçambique, Brasil, África do Sul e Costa do Marfim. Participam nesta edição deputados, ministros, governadores provinciais, reitores de universidades, directores de investigação científica e desenvolvimento, políticos e empresários e  representantes da sociedade civil.

Notícias

15 de junho de 2018
Angola e Coreia do Sul acordam elevar cooperação parlamentar

As repúblicas de Angola e da Coreia do Sul acordaram elevar as relações bilaterais, na perspectiva de acompanhar a dinâmica da cooperação ao nível dos governos dos dois países do domínio parlamentar.


15 de junho de 2018
Empresas francesas atraídas pelo investimento em Angola

O interesse dos investidores franceses por Angola aumentou com a recente  deslocação do Presidente da República, João Lourenço, àquele país, o  que é traduzido com a presença de cerca de 150 empresas das mais  representativas do sector agrícola e industrial num  encontro organizado  em Paris pelo patronato, no qual se esperavam inicialmente 60  participantes.


15 de junho de 2018
A Língua Portuguesa em Nós” patente ao público em Luanda

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós”, patente ao público desde  quarta-feira, no Centro Cultural Brasil-Angola, na Baixa de Luanda,  inclui actividades paralelas para todas as idades.


5 de junho de 2018
Estrangeiros estão convidados a concorrer nas privatizações

O Executivo está a preparar a privatização total ou parcial de  algumas grandes e médias empresas públicas já seleccionadas, incluindo  do sector petrolífero, das telecomunicações e outros, revelou ontem, em  Bruxelas, o Presidente João Lourenço.


AngolaConsuladoServiçosComunicadosAudiências
Audiências
x
*
*
*
*
*