Quinta-feira, 19 de Junho de 2018
menu
6 de janeiro de 2017

Malanje: Ministro dos Antigos Combatentes ressalta importância do 4 de Janeiro

Ao discursar no acto central alusivo aos 56 anos do Dia da Repressão da Baixa de Cassanje, disse que essa data libertou a consciência patriótica e unidade dos angolanos em prol da defesa dos seus legítimos direitos e do alcance da integridade territorial. Segundo o ministro, a revolta contra os colonialistas portugueses, a 4 de Janeiro de 1961, pelo baixo preço da venda do algodão e dos maus-tratos a que estiveram submetidos, manifestou o sentimento escrupuloso de acabar com a exploração, pressão, humilhação e racismo.

Em consequência dessa revolta, lembrou, 17 aldeias da região da Baixa de Cassanje foram destruídas, entre elas o Teka-dia-kinda, Socola, Tembo-Aluma, Marimba, Milando, Xá-muteba e outras, culminando com o massacre da população das mesmas zonas pelo regime português. Referiu que essa batalha deu lugar ao início da luta armada de libertação nacional, a 4 de Fevereiro de 1961, rumo à conquista da Independência Nacional, a 11 de Novembro de 1975.

Ressaltou que a violência dos portugueses contra os camponeses fez as vítimas tornarem-se mais determinantes e irreversíveis na luta contra o regime português, daí ser necessário, a cada 4 de Janeiro, render homenagem a todos quantos perderam a vida nessa batalha. Por sua vez, o governador de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, pediu respeito e honra aos heróis nacionais tombados pela causa do 4 de Janeiro de 1961.

Encorajou, por outro lado, os cidadãos nacionais que ainda não fizeram o registo eleitoral a aderirem à segunda fase do processo, que se inicia quinta-feira (5) e decorrerá até 31 de Março próximo.  As comemorações do 4 de Janeiro acontecem este ano sob o lema "Firmes e unidos, engajemo-nos na diversificação da economia".

O acto central foi testemunhado por várias entidades afectas aos ministérios dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria e da Administração do Território, membros do Governo de Malanje, autoridades tradicionais e religiosas, bem como população de outros estratos.

O 4 de Janeiro de 1961 representa um marco histórico que atingiu mais de dez mil camponeses da ex-companhia de Algodão de Angola (Cotonang), na Baixa de Cassanje, que foram barbaramente assassinados pelos colonialistas portugueses, por exigência dos direitos de trabalhadores, abolição do trabalhado forçado, isenção de pagamentos de impostos e outros maus-tratos a que estavam submetidos.  A região da Baixa de Cassanje abarca os municípios do Quela, Kunda-dia-Base, Cahombo e Marimba (Malanje) e Xá muteba (Lunda norte).

Notícias

15 de junho de 2018
Angola e Coreia do Sul acordam elevar cooperação parlamentar

As repúblicas de Angola e da Coreia do Sul acordaram elevar as relações bilaterais, na perspectiva de acompanhar a dinâmica da cooperação ao nível dos governos dos dois países do domínio parlamentar.


15 de junho de 2018
Empresas francesas atraídas pelo investimento em Angola

O interesse dos investidores franceses por Angola aumentou com a recente  deslocação do Presidente da República, João Lourenço, àquele país, o  que é traduzido com a presença de cerca de 150 empresas das mais  representativas do sector agrícola e industrial num  encontro organizado  em Paris pelo patronato, no qual se esperavam inicialmente 60  participantes.


15 de junho de 2018
A Língua Portuguesa em Nós” patente ao público em Luanda

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós”, patente ao público desde  quarta-feira, no Centro Cultural Brasil-Angola, na Baixa de Luanda,  inclui actividades paralelas para todas as idades.


5 de junho de 2018
Estrangeiros estão convidados a concorrer nas privatizações

O Executivo está a preparar a privatização total ou parcial de  algumas grandes e médias empresas públicas já seleccionadas, incluindo  do sector petrolífero, das telecomunicações e outros, revelou ontem, em  Bruxelas, o Presidente João Lourenço.


AngolaConsuladoServiçosComunicadosAudiências
Audiências
x
*
*
*
*
*