Segunda-feira, 16 de Junho de 2018
menu
4 de novembro de 2016

Quiminha já abastece grandes superfícies

Nesta altura está em perspectiva o início da colheita do  milho, além da batata rena e das hortícolas que já têm abastecido alguns  mercados e grandes superfícies de Luanda. O governador de Luanda, Higino Carneiro, e o ministro da Agricultura, Marcos Nhunga, visitaram ontem o projecto agrícola que nesta altura produz dezenas de toneladas de produtos diversos, entre tomate e pimento, que são fornecidos ao supermercado Kandando,  Kero, Alimenta Angola, mercado do Quilómetro 30 e outros. O ministro Marcos Nhunga acredita que com a conclusão da unidade fabril que está a ser montada, principalmente no que se refere à produção de soja que depois vai viabilizar a produção de ovos e frangos, o projecto pode vir a mitigar os problemas da província de Luanda, o maior centro de consumo no país. Na Quiminha, foram visitadas as estufas de produção de pimento e tomate. Os produtos colhidos são levados para a área da logística, onde é feita a recepção, selecção, limpeza e organização, um trabalho feito por jovens que encontraram o primeiro emprego com o projecto. Jurema de Oliveira e Jorgina Luís são jovens, como outros que conseguiram o primeiro emprego no projecto agrícola da Quiminha. Para elas, colher, lavar e organizar os produtos do campo é um trabalho que se aprende rapidamente. 
Preços acessíveis
Ao invés de se direccionar toda a produção do projecto para as grandes superfícies comerciais, ficou acordado com os gestores a criação de um mercado, no Quilómetro 30, segundo o ministro da Agricultura, onde os munícipes possam adquirir os produtos a preços acessíveis. “O que vamos fazer agora é construir um mercado onde a população possa adquirir produtos de qualidade e até a preços baixos”, explicou. A Administração Municipal do Icolo e Bengo ficou também com o compromisso de criar um mercado para receber os produtos do projecto e dar a possibilidade aos munícipes e outros de adquirirem a preço acessível.
Famílias alojadas
O governador de Luanda informou que até Maio do próximo ano o projecto Integrado de Desenvolvimento Agrícola da Quiminha vai estar completo com as 300 famílias alojadas. “Hoje decidimos fazer uma entrada de 30 famílias por mês, ou seja, até Maio do próximo ano o projecto vai estar completo com todas as famílias instaladas”, realçou o governador. Higino Carneiro explicou que os critérios estão definidos e que vai dar prioridade à juventude como força motriz do projecto para assegurar a sua continuidade e a outra parte aos que já trabalhavam no local e que foram retirados por força da implementação do projecto. O centro logístico vai passar a comprar a produção das 300 famílias instaladas e que as mesmas vão ter um subsídio mensal de maneira a garantir algum sustento, porque as culturas só são vendidas depois de produzidas. O governador visitou também a Aldeia Solar, um projecto com 500 residências que até agora estão desabitadas. Higino Carneiro garantiu que existe uma empresa que faz a manutenção das mesmas e que as famílias já estão cadastradas. O atraso na entrega das casas está associado à intenção de envolver ou enquadrar as mesmas famílias no processo produtivo.  

Notícias

15 de junho de 2018
Angola e Coreia do Sul acordam elevar cooperação parlamentar

As repúblicas de Angola e da Coreia do Sul acordaram elevar as relações bilaterais, na perspectiva de acompanhar a dinâmica da cooperação ao nível dos governos dos dois países do domínio parlamentar.


15 de junho de 2018
Empresas francesas atraídas pelo investimento em Angola

O interesse dos investidores franceses por Angola aumentou com a recente  deslocação do Presidente da República, João Lourenço, àquele país, o  que é traduzido com a presença de cerca de 150 empresas das mais  representativas do sector agrícola e industrial num  encontro organizado  em Paris pelo patronato, no qual se esperavam inicialmente 60  participantes.


15 de junho de 2018
A Língua Portuguesa em Nós” patente ao público em Luanda

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós”, patente ao público desde  quarta-feira, no Centro Cultural Brasil-Angola, na Baixa de Luanda,  inclui actividades paralelas para todas as idades.


5 de junho de 2018
Estrangeiros estão convidados a concorrer nas privatizações

O Executivo está a preparar a privatização total ou parcial de  algumas grandes e médias empresas públicas já seleccionadas, incluindo  do sector petrolífero, das telecomunicações e outros, revelou ontem, em  Bruxelas, o Presidente João Lourenço.


AngolaConsuladoServiçosComunicadosAudiências
Audiências
x
*
*
*
*
*