Segunda-feira, 16 de Junho de 2018
menu
6 de outubro de 2016

Reino Unido quer apoiar Angola na diversificação da economia

A intenção foi manifestada, esta quarta-feira, pela enviada do Comércio da primeira-ministra britânica a Angola, Lindsay Northover, durante um encontro com o presidente executivo da Câmara de Comércio Reino Unido/Angola e empresários dos dois países.

Durante o encontro, a enviada especial, em Angola para cinco dias de trabalho, referiu que depois do alcance da paz definitiva as taxas de crescimento "extraordinárias" do país têm sido enaltecidas a nível do continente e do mundo, daí o interesse do Reino Unido em oferecer assistência e troca de experiências no domínio comercial.

Neste contexto, deu a conhecer que  a Faculdade de Negócios da Universidade de Oxford está a oferecer bolsas de estudos para empresários angolanos residentes e não residentes, com experiências de até 12 anos nos vários sectores empresariais, cujas candidaturas deverão ser entregues à embaixada do Reino Unido em Angola, até ao dia 24 do corrente mês.

Por outro lado, informou que durante a sua estadia no país, manteve encontros com ministros e altos funcionários do sector económico, com vista a discutir formas de como o Reino Unido pode apoiar oportunidades de investimento.

Disse ainda, que procedeu visitas aos vários investimentos do sector agrícola e hidro- eléctrica na província de Malange, designadamente a barragem de Laúca, participou igualmente numa conferência sobre o relançamento da produção de algodão e visitou projectos de agricultura e desminagem.

Por seu turno, o presidente executivo da Câmara de Comércio Reino Unido/Angola, Braúlio de Brito, ressaltou que Angola é um país de grandes oportunidades de investimento, reafirmando o contínuo reforço das relações comerciais entre os dois países.

"Angola e o mundo atravessam uma crise económica e, é através das dificuldades que se consegue dar largos passos para ultrapassar este contexto. Estou satisfeito de ver que o interesse é expresso a mais alto nível", acrescentou.

Já o embaixador do Reino Unido em Angola, John Dennis, afirmou que a visita da enviada do Comércio constitui uma mais valia para os dois países, cujo interesse consiste no fortalecimento das relações comerciais e a troca de experiências nos vários sectores.

Disse ainda, que a visita da enviada especial dignificam os laços de amizade e cooperação existentes entre os dois países.

"É a terceira visita em Angola e, desta vez teve a oportunidade de constatar as potencialidades agrícolas na província de Malange bem como manter encontros com titulares das pastas dos vários sectores económicos. Isto ajudar-nos-á a fomentar os laços comerciais e descobrir oportunidades de investimento no futuro. A próxima visita está prevista para 2017", disse.

Esta é a terceira visita da enviada especial do Comércio em Angola, com o objectivo de demonstrar o compromisso do Reino Unido para o aumento do fluxo de comércio entre os dois países.

Notícias

15 de junho de 2018
Angola e Coreia do Sul acordam elevar cooperação parlamentar

As repúblicas de Angola e da Coreia do Sul acordaram elevar as relações bilaterais, na perspectiva de acompanhar a dinâmica da cooperação ao nível dos governos dos dois países do domínio parlamentar.


15 de junho de 2018
Empresas francesas atraídas pelo investimento em Angola

O interesse dos investidores franceses por Angola aumentou com a recente  deslocação do Presidente da República, João Lourenço, àquele país, o  que é traduzido com a presença de cerca de 150 empresas das mais  representativas do sector agrícola e industrial num  encontro organizado  em Paris pelo patronato, no qual se esperavam inicialmente 60  participantes.


15 de junho de 2018
A Língua Portuguesa em Nós” patente ao público em Luanda

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós”, patente ao público desde  quarta-feira, no Centro Cultural Brasil-Angola, na Baixa de Luanda,  inclui actividades paralelas para todas as idades.


5 de junho de 2018
Estrangeiros estão convidados a concorrer nas privatizações

O Executivo está a preparar a privatização total ou parcial de  algumas grandes e médias empresas públicas já seleccionadas, incluindo  do sector petrolífero, das telecomunicações e outros, revelou ontem, em  Bruxelas, o Presidente João Lourenço.


AngolaConsuladoServiçosComunicadosAudiências
Audiências
x
*
*
*
*
*