Quinta-feira, 19 de Junho de 2018
menu
15 de fevereiro de 2018

Sector mineiro quer aumentar peso no OGE

Numa altura em que as projecções apontam um crescimento de 4,4 por cento para o sector, o Ministério almeja que os recursos minerais, como diamantes, rochas ornamentais, ferro, ouro, fosfato e outros minérios sirvam como meio para alavancar a diversificação da economia nacional, aumentar a produção e diminuir as importações. O crescimento esperado do sector mineiro angolano terá como base a produção de diamantes esperada na mina do Luaxe, a exploração de ferro gusa e pelo aumento da exploração de rochas ornamentais.

A propósito de todas transformações que estão a ocorrer no sector, o ministro Diamantino Azevedo, disse hoje à imprensa no seminário nacional de auscultação de empresários sobre o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi), que o país está disponível para os empresários nacionais e estrangeiros interessados em investir. “Está tudo aberto ao empresariado, é tudo uma questão de oportunidades dos próprios empresários preocuparem-se junto do ministério e saber das oportunidades, mas não há nada que esteja vedado ao interesse do empresariado nacional e internacional do nosso sector”, assegurou.

Frisou que sector tem características próprias, por ser um sector intensivo, com bastantes riscos, onde os investimentos na prospecção demoram algum tempo e com as dificuldades que o país vive exige dos agentes uma certa perspicácia para solução dos problemas. O Executivo pretende adoptar o Prodesi como um instrumento de coordenação e fomento do desenvolvimento de produtos, fileiras e clusters onde Angola tenha ou possa vir a ter vantagens competitivas.  

O PRODESI pretende ser “uma aliança do Executivo com o sector privado, para trabalhar de forma sincronizada e sustentada no fomento da actividade produtiva, no aumento do emprego e do rendimento nacional”. O objectivo é acelerar a diversificação da economia nacional, focando em fileiras exportadoras e com forte potencial de substituição de importações.  O programa visa gerar impactos na economia nacional, aumentando a eficiência da economia nacional, contribuindo para o aumento do PIB e para criação do emprego e do aumento da base material das famílias, conferir rigor à actuação do funcionalismo público, no domínio dos serviços públicos prestados aos agentes económicos, melhorar substancialmente o ambiente de negócios em Angola e melhorar a qualidade do capital humano nacional.

Notícias

15 de junho de 2018
Angola e Coreia do Sul acordam elevar cooperação parlamentar

As repúblicas de Angola e da Coreia do Sul acordaram elevar as relações bilaterais, na perspectiva de acompanhar a dinâmica da cooperação ao nível dos governos dos dois países do domínio parlamentar.


15 de junho de 2018
Empresas francesas atraídas pelo investimento em Angola

O interesse dos investidores franceses por Angola aumentou com a recente  deslocação do Presidente da República, João Lourenço, àquele país, o  que é traduzido com a presença de cerca de 150 empresas das mais  representativas do sector agrícola e industrial num  encontro organizado  em Paris pelo patronato, no qual se esperavam inicialmente 60  participantes.


15 de junho de 2018
A Língua Portuguesa em Nós” patente ao público em Luanda

A exposição “A Língua Portuguesa em Nós”, patente ao público desde  quarta-feira, no Centro Cultural Brasil-Angola, na Baixa de Luanda,  inclui actividades paralelas para todas as idades.


5 de junho de 2018
Estrangeiros estão convidados a concorrer nas privatizações

O Executivo está a preparar a privatização total ou parcial de  algumas grandes e médias empresas públicas já seleccionadas, incluindo  do sector petrolífero, das telecomunicações e outros, revelou ontem, em  Bruxelas, o Presidente João Lourenço.


AngolaConsuladoServiçosComunicadosAudiências
Audiências
x
*
*
*
*
*