Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018
menu
23 de junho de 2017

Acordo aduaneiro comum entra em vigor

O acordo tem vigência de cinco anos e preconiza a assistência, entre as administrações aduaneiras dos dois países, na prevenção, investigação e repressão de casos ilícitos - como o tráfico de drogas e substâncias psicotrópicas -, assim como na troca de listas de mercadorias cuja importação ou exportação estejam proibidas. Neste aspecto, Angola e a Namíbia concordam em não autorizar a exportação de  mercadorias proibidas entre os dois territórios e estabeleceram um “quadro de  assistência espontânea”, com o qual a administração aduaneira de uma parte deve  comunicar à sua congénere, sem demora, todas as informações de que disponha sobre as actividades que constituem operações contrárias à legislação aduaneira e que tenham interesse para a outra parte.

Os dois países obrigam-se, nos termos do documento, por iniciativa própria ou solicitação escrita do outro, a manter fiscalização e vigilância especial, sobretudo no que diz respeito aos movimentos de entrada e saída dos seus territórios de infractores ocasionais ou habituais da legislação aduaneira. Angola e Namíbia concordam também na assistência técnica, incluindo o apoio em consultoria,formação e intercâmbio de funcionários, bem como os procedimentos de trabalho, com vista ao seu aperfeiçoamento.

Os dois países afirmam estarem conscientes que as infracções aduaneiras são prejudiciais aos interesses económicos, nomeadamente de carácter comercial, financeiro, social, ambiental e cultural, pelo que consideram importante a determinação exacta dos direitos e demais imposições aduaneiras aplicáveis às  importações e exportações de mercadorias e a cobrança ou pagamento dessa determinação.

O documento aponta o combate à fuga ao fisco, contrabando de estupefacientes e de substâncias psicotrópicas como impulsionadores de uma cooperação mais estreita  entre as duas instituições aduaneiras, no quadro das recomendações da Organização Mundial  das Alfândegas, a que Angola aderiu em Abril de 1989, sobre a Assistência Mútua e da resolução n.º 39/141, de Dezembro de 1984, da Assembleia-Geral das Nações Unidas. O acordo foi rubricado em Julho do ano passado por Valentim Manuel, presidente do Conselho de Administração da Administração Geral Tributária (AGT), e Bevan Sililo Simataa, da Administração Aduaneira e Impostos (AAI) da Namíba.

 

Notícias

11 de janeiro de 2018
Diplomacia faz rotação de quadros

O Ministério das Relações Exteriores vai abrir um  concurso público interno para o processo de rotatividade dos  funcionários das missões diplomáticas e postos consulares de Angola no  exterior, anunciou o secretário-geral da instituição, Agostinho  Van-Dúnem.


11 de janeiro de 2018
Sónia Serafim Ferreira distinguida no Huambo

Sónia Ferreira, responsável do grupo Okutiuka, detentor de dez títulos  consecutivos no Entrudo no Huambo, foi homenageada terça-feira, no  Planalto Central, pela direcção provincial da Cultura, devido à sua  entrega à causa solidária e à cultura na região.


11 de janeiro de 2018
Nível do campeonato nacional de andebol satisfaz organização

O presidente da Associação de Andebol do Huambo (APAH), Monteiro  Pongolola Lino, considerou, ontem, elevado, o nível competitivo dos  campeonatos nacionais de juvenis, nas classes masculina e feminina, que a  cidade planáltica acolhe desde o passado dia quatro.


15 de dezembro de 2017
Presidente da República prepara movimentação

O Presidente da República, João Lourenço, faz, em Janeiro do próximo  ano, movimentações de embaixadores em todos os países do mundo em que  Angola tem representação diplomática, anunciou ontem, em Luanda, o  ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto.


AngolaConsuladoServiçosComunicadosAudiências
Audiências
x
*
*
*
*
*